quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Jogo de afetos na BE/CRE

As turmas do 2º ciclo participaram numa atividade de afetos que agradou bastante a todos os alunos envolvidos.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

S. Valentim 2013



Oliveira bate à porta
Alecrim vai ver quem é.
São os olhos de Maria
Que vem namorar José.


Feliz S. Valentim e leituras românticas!!!!!!!!!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Feliz Carnaval 2013

É tempo de fantasia
É tempo de Carnaval
É tempo de alegria
Não há outro tempo igual!

E para ajudar na diversão
Vamos todos ler, então!!!



sábado, 2 de fevereiro de 2013

Personalidade do Mês - fevereiro


Natália de Oliveira Correia nasceu em São Miguel (Açores), no dia de 13 de setembro de 1923.
            Quando tinha apenas onze anos o pai emigrou para o Brasil e juntamente com a sua mãe e irmã veio para Lisboa, cidade onde fez estudos liceais no Liceu D. Filipa de Lencastre. Iniciou-se na literatura com a publicação de uma obra destinada ao público infantojuvenil, mas rapidamente se afirmou como poetisa.
            Notabilizou-se através de diversas vertentes da escrita, já que foi poetisa, dramaturga, romancista, ensaísta, tradutora, jornalista, guionista e editora. Tornou-se conhecida na imprensa escrita e, sobretudo, na televisão, com o programa Mátria, onde advogou uma forma especial de feminismo.
            Dotada de invulgar talento oratório e grande coragem combativa, tomou parte ativa nos movimentos de oposição ao Estado Novo, tendo participado no Movimento de Unidade Democrática, em 1945, no apoio às candidaturas para a Presidência da República do general Norton de Matos e de Humberto Delgado. Foi deputada à Assembleia da República (1980-1991), onde interveio politicamente ao nível da cultura e do património, na defesa dos direitos humanos e dos direitos das mulheres.
            Em 1981 foi feita Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada e em 1991 recebeu o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores pelo livro Sonetos Românticos. No mesmo ano, a 26 de novembro, foi feita Grande-Oficial da Ordem da Liberdade
             Ficou conhecida pela sua personalidade livre de convenções sociais, vigorosa e polémica, que se refletiu na sua escrita. A obra de Natália Correia encontra-se traduzida em várias línguas.
            Faleceu a 16 de março de 1993, deixando um vazio na cultura portuguesa muito difícil de preencher.